Depois de alguma ausência devido as festas de final de ano aqui estamos nós novamente falando de comida e afins.

Nestas festas nada de muito especial, gastronomicamente falando, apenas o básico de chesters, perus e etc. Mas apesar disso, experimentei pela primeira vez utlizar o Couscous marroquino. Este produto que não é muito conhecido aqui no Brasil, é extremamente popular em outros países, como na Europa, por exemplo. Eu mesmo o conheci quando fui morar na Inglaterra. Já o tinha visto a venda algumas vezes, mas nunca tinha me aventurado a cozinhar com ele.

A verdade é que fiquei com a misão da “salada”na ceia de natal de minha família. Como o óbvio nem sempre é algo que combina comigo, nas minhas reflexões do que eu poderia fazer de diferente, lembrei do couscous, que é leve e um ótimo ingredinte em saladas.

No final resolvi por uma receita simples, com tomates-cereja e ervas para dar sabor e aroma fresco (o natal em Ribeirão tava muito calor, como sempre!). Como o prato principal seria uma receita de minha mãe a base de filé mignom, achei que uma salada desta com folhas seria uma boa pedida.

[Resultado final da minha salada de couscous, tomates-cereja e folhas]
A salada ficou uma delícia, apesar de ter sentido um certo pré-conceito dos meus familiares, que o provaram demonstrando alguma estranhesa… rs…
Mas a verdade é que gostei da experiêcia. O couscous marroquino é muito versátil, e possui textura única. Em breve vou testá-lo como acompanhamento em algum prato quente.
Pra quem não conhece e quer experimentar, trabalhar com o couscous é muito fácil, basta hidratá-lo. O preço é meio salgado, mas uma caixinha rende bastante.
Anúncios