Se tem uma carne que eu adoro é a de cordeiro. Ao contrário de muitos outros países, como os da Europa, onde a carne é amplamente consumida, no Brasil ela ainda faz pouco sucesso. Não sei se é devido ao preço, um pouco alto relativamente à carne bovina ou se é questão do sabor, estranho ao brasileiro…

O sabor é bem característico, e por alguns é tida como sendo uma carne “forte”… Para mim é uma carne de personalidade, e essa personalidade, bem trabalhada, alcança resultados maravilhosos à mesa.

Até minha experiência morando na Inglaterra tinha tido muito pouco contato com essa carne. Mas lá pude consumi-la bastante e passei a admirá-la. Sem contar o quanto é charmoso a forma como os chefs costumam montar os pratos, com os ossos dos carrés voltados para cima e apoiados uns aos outros.

E você, é fã da carne de cordeiro?

Em casa, de vez em quando eu asso um pernil ou uma paleta de cordeiro. Gosto muito dessas partes cortadas em “postas” contra o osso, tipo um ossobuco. Neste corte o resultado é uma carne extremamente macia e cheia de sabor, com brilho, conseqüência do tutano presente nos ossos e liberados durante o cozimento. Mas também faço partes inteiras, que exigem um tempo maior em fogo para assar e atingir os resultados de maciez desejados.

Tempos atrás fiz uma peça de pernil e ficou ótima. É fácil de fazer e agrada a todos os paladares.

img021

– pernil ou paleta de cordeiro
– sal
– pimenta do reino
– 1 garrafa de vinho tinto seco
– alecrim

Limpe qualquer excesso de gordura da peça, tomando cuidado para não retirar toda a gordura sob pena de ficar com uma carne ressecada ao final do preparo. Passe sal por toda a extensão da carne e pulverize com um pouco de pimenta do reino, sem exageros. Após cerca de 10 minutos, coloque a peça em um recipiente que a caiba e regue com o vinho. Corte ramos do alecrim e distribua por baixo e por cima da peça de cordeiro. Cubra com filme plástico e leve a geladeira, deixando marinar por pelo menos 12 horas. O ideal é de um dia para o outro.

Para assar, retire a marinada deixando não mais que um dedo de espessura de líquido junto à carne. Mantenha os ramos de alecrim. Leve para assar em fogo brando, coberto por papel alumínio por cerca de 2 horas. Retire o papel alumínio e deixe assar por mais cerca de uma hora  (é preciso virar a carne em cada metade dos tempos de cozimento, com e sem papel alumínio).

Se quiser um acompanhamento, pode acrescentar batatas junto à carne na hora restante do cozimento.

Anúncios